Que conteúdo deseja pesquisar?

Exemplo: startups, shark tank brasil, modelo de pitch

Blog da Camila Farani

Notícias e Conteúdos Exclusivos

Quem disse que empreender é só criar um negócio do zero?

Semana passada aconteceu a maior feira de franchising do mundo em número de visitantes no Brasil. E eu estive lá conferindo as novidades desse mercado. Foram mais de 40 redes expondo seus modelos de negócios para empreendedores com investimentos iniciais de até R$ 90 mil. Muitas pessoas me perguntam: “Para empreender precisa abrir um negócio novo? Do zero? Precisa ser altamente inovador?”. A resposta é não. E o mercado de franquias está aí para mostrar isso. Mesmo com o clima econômico negativo e de muitas incertezas, o setor está em franca expansão, segundo dados revelados pela própria ABF (Associação Brasileira de Franchising). Nos últimos anos, esse segmento registrou um crescimento de 7,1% e receita de quase R$ 175 bilhões em 2018. Um número bem animador.

Investir numa franquia pode ser uma ótima opção, sim, para quem não quer correr tantos riscos, em relação a novos empreendedores que precisam passar por todo um processo de validação anterior. Mas não pense que ser um franqueado exige apenas dinheiro no bolso e força de trabalho. Muito pelo contrário. Franqueados são empreendedores como qualquer outro e precisam dedicar muito tempo, estudo, planejamento e uma boa dose de estratégia para se firmar. Pense da seguinte forma: a franquia possui uma missão, visão e direcionamento único, com vários empreendedores (franqueados) cocriando junto para o crescimento da marca. Essa é a lógica para o sucesso.

Pois bem, a questão chave que se coloca aqui é: como escolher a melhor opção para você empreender? Mesmo os empreendimentos mais sólidos possuem grau de incerteza e, portanto, riscos de acontecerem percalços nesse caminho. Existem alguns pontos importantes que julgo essenciais para você tomar essa decisão:

1 — Entenda qual é o seu “fôlego” financeiro

Antes de qualquer coisa, reflita sobre quanto tempo você poderá destinar a esse negócio e se está disposto a colocar energia empreendedora. O planejamento financeiro começa nessa etapa. Pois um futuro franqueado deve dispor de recursos para o investimento inicial, que geralmente é o mais alto, mas também deve reservar dinheiro para capital de giro. Como qualquer negócio, as franquias também precisam de uma boa administração. Principalmente porque os primeiros anos você estará correndo atrás do seu breakeven, ou seja, o seu ponto de equilíbrio, quando você começará a ter o retorno do seu investimento. Você precisa ter um caixa positivo enquanto o seu negócio não gera lucros. Parece simples, mas muitos empreendedores erram nessa parte e infelizmente acabam fechando as portas antes do tempo por falta de planejamento e uma mínima administração. Além disso, é importante entender a projeção financeira da franquia. Todas as grandes marcas disponibilizam esses dados. Não deixe nunca de analisar se vale a pena ou não investir.

2 — Não feche negócio antes de testar

Lição número 1 dos empreendedores: Teste e valide antes de lançar! Isso vale também para as franquias. Peça a franqueadora um período de imersão dentro do negócio. Ou seja, antes de fechar negócio, fique 1 semana visitando a fábrica, os pontos de venda, conversando com consumidores, entendendo melhor os processos e as pessoas que estão por trás. Você pode descobrir, por exemplo, que não se identifica com aquela marca ou segmento. Então é hora de repensar sua estratégia e procurar outras opções. Lembre-se: a melhor maneira de conhecer um negócio é entender quem são as pessoas envolvidas.

3 — Entenda o perfil dos franqueados

Como já mencionei, a melhor maneira de conhecer o negócio é entender quem são essas pessoas. Portanto, você precisa conhecer outros franqueados. Invista boa parte do seu tempo nisso. Entreviste pelo menos 5 franqueados empreendedores, elabore um questionário (sobre perfil dos consumidores, operação, números) e aplique igual para todos. Uma das principais queixas, por exemplo, é a falta de suporte da franqueadora. Então, analise o que eles responderam em comum. Provavelmente ali você terá um belo raio X do que é positivo na franquia e o que precisa ser melhorado.

4 — Invista em algo que você conheça

Você já atuou em algum mercado específico no passado? Você ou seus sócios têm alguma expertise dentro de um determinado segmento? Se a resposta for positiva, então melhor sempre aproveitar as vantagens competitivas que possui. Com certeza, você já possuirá uma rede de relacionamentos interessante e estará mais preparado para inovar com mais assertividade.

5 — Procure por cases de sucesso

Novos modelos de negócio que surgem no mercado, às vezes, estão em processo de validação. Eles precisam de um tempo para mostrar potencial de crescimento e conquistar clientes. Por isso, se você não quer arriscar muito sugiro investir em marcas que já mostram bom desempenho e possuem histórico. Essas evidências você pode buscar em entidades que militam nessa área como a própria Associação Brasileira de Franchising (ABF). Veja quem são essas marcas que receberam selos de qualidade. Pode ser um bom filtro nesse começo.

E se você é um empreendedor inovador, e acha que não poderá inovar nesse modelo, está completamente enganado. Muitas marcas estimulam os franqueados a criarem novos produtos, processos e até novas formas de divulgação. A inovação está em todo lugar. Basta você se posicionar da forma correta.

Camila Farani

Entre em contato ou siga-me nas redes sociais