A importância do Work-Life Integration

A importância do Work-Life Integration

verificado-p9b5wei8xhwe6tpnd9l0yfyhsau4bv7zr389bvjd9k

Camila Farani

08 de fevereiro • 5 min

verificado-p9b5wei8xhwe6tpnd9l0yfyhsau4bv7zr389bvjd9k

Camila Farani

08 de fev • 5 min

Integrar a vida pessoal e o trabalho nunca foi tão trend quanto agora. Estamos conectados 24h por dia, 7 dias na semana, sempre intercalando a nossa atenção entre o celular,o  e-mail, as reuniões virtuais ou as outras tarefas de trabalho – e nos nossos momentos de descanso, essa realidade não muda muito. 

O resultado? Esquecemos de distribuir bem o nosso tempo e, assim, de dar a devida atenção para as coisas mais simples da nossa vida, que têm um papel fundamental, inclusive, para a nossa saúde mental. 

Aliás, voltando para o começo, eu gosto muito desta lógica da Work-Life Integration, uma nova perspectiva que tem como precursora a Haas School of Business da University of California, Berkeley, nos Estados Unidos. A lógica aqui é de que não se trata mais de buscarmos um simples equilíbrio entre trabalho e vida, mas de criarmos uma abordagem que crie sinergias entre todos os aspectos que nos definem. Afinal, está tudo interligado, e não mais, compartimentado.

E nesse movimento, é muito importante que as empresas estejam alinhadas com essa visão, justamente, para que a sua cultura organizacional seja saudável. Até porque disso dependerá a sua capacidade de atrair e reter os talentos. 

Um estudo do Boston Consulting Group (BCG) aponta que 93% dos funcionários de empresas latino-americanas entrevistados, que trabalham em tecnologia ou têm cargos em áreas digitais, esperam trocar de empresa nos próximos dois a três anos. Já 64% estão buscando ativamente por novos empregos para conseguir trabalhar de forma híbrida e poder administrar melhor suas demandas de trabalho e vida. 

Acompanha comigo: quanto maior o cuidado com a sua saúde e o seu bem-estar pessoal dentro da empresa, maior será a sua produtividade, certo? Por isso, as organizações precisam acordar para essa realidade. 

Está aí, mais uma vez, a resposta para a sua empresa adotar esse comportamento já.

Desequilíbrio entre vida pessoal e profissional adoece!

As consequências da falta de harmonia entre a vida profissional e pessoal se refletem no aumento de riscos à saúde, queda da produtividade, absenteísmo, fadiga até os mais altos índices de estresse, o Burnout. 

Por isso, as empresas devem ficar atentas! O profissional moderno busca cada vez mais poder integrar o trabalho com a sua vida pessoal, e ser feliz. Ser capaz de proporcionar um ambiente como esse ao seu time deve estar na cultura organizacional.  

E apenas para reforçar a questão dos talentos, estudo da Great Place to Work revela os principais motivos de retenção dos colaboradores:

  • 37% oportunidade de crescimento
  • 35% dos entrevistados preferem uma empresa que motiva o equilíbrio de vida e trabalho;
  • 13% dão prioridades ao alinhamento de valores;

Assim é possível perceber que, quando as empresas atendem às necessidades de seus funcionários, elas têm profissionais mais satisfeitos e se tornam mais atrativas para o mercado. Isso reflete em um maior compromisso do colaborador com a empresa, aumenta os índices de resiliência e traz melhores resultados para todos.

Pense nisso!

Compartilhe este post nas suas redes sociais

Compartilhe este post nas suas redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Não curti.

Meh…

Curti!

Não curti.

Meh…

Curti!

Você também pode gostar de:

Você também
pode gostar de:

Enterprise agility: o que era uma opção, agora é essencial

Empresas ágeis são aquelas que estão conseguindo…

Como melhorar a experiência do cliente?

Quando você encanta seus clientes e agrega mais valor…

Enterprise agility

Empresas ágeis são aquelas que estão conseguindo…

Experiência do cliente

Quando você encanta seus clientes e agrega mais…