É difícil encarar o discordante. A palavra diferença por si só nos remete a um desconforto mental que muitas vezes evolui para reações negativas. E é aí que esta a maestria de Marion Poetz, da Copenhagen Business School – uma das pesquisadoras do estudo com carpinteiros, telhadores e pintores.

Ao serem indagados sobre como melhorar os equipamentos de segurança para todas essas atividades, cada grupo mostrou-se muito melhor pensando em soluções inovadoras para as outras áreas do que para a sua. Na realidade, quanto maior a distância conceitual em relação ao problema, mais inovadoras foram as soluções. E em se tratando dessas duas palavrinhas “problema e solução” tão comuns e tão desafiadoras ao mesmo tempo, principalmente no universo das startups, faz se necessário aprofundar um pouco mais.

Os estudos que demonstram o valor de obter conhecimento de “campos análogos”, ou seja, áreas que parecem diferentes na superfície, mas são semelhantes em um nível estrutural profundo, estão ajudando empresas a encontrar novas formas de gerar ideias inovadoras.

Nesse mesmo contexto dos grupos acima citados, os pintores se saíram melhor do que os telhadores ao apresentar ideias para aumentar o conforto e a adaptabilidade dos equipamentos de segurança dos carpinteiros. Esse método, que assim como o crowdsourcing, se enquadra na ampla disciplina do esforço colaborativo para solução de problemas, ajudou uma empresa de software de gestão de armazém a melhorar seu rastreamento de componentes, uma de escadas rolantes a descobrir como instalar seus produtos nos andares superiores dos edifícios e mais uma boa quantidade de outras a melhorarem seus produtos ou serviços com base na solução distribuída de problemas.

A chamada colaboração divergente pode ser facilmente complementada pela máxima – “Pare de vender, comece a ouvir. Dentro da organização há apenas opiniões, não fatos. Para encontrar os fatos, o empreendedor deve buscá-los fora” – de Steve Blank. Só que agora encontramos mais um elemento de ajuda na procura ideal da solução para o seu problema.

No próximo artigo falarei sobre como aplicar a Teoria dos Campos Análogos através de orientações para busca e utilização de ideias de diversos especialistas. Até lá!

FONTE: http://startupi.com.br/2015/07/problema-e-solucao-a-magia-das-boas-ideias-atraves-da-divergencia/

By | 2017-02-22T22:45:17+00:00 fevereiro 20th, 2016|Sem categoria|